quarta-feira, 6 de fevereiro de 2013

Phil Anselmo longe das drogas


As coisas estão indo muito bem para Phil Anselmo no momento, ele está em turnê com o DOWN, e está preparando um novo álbum solo com sua gravadora, a Housecore Records. Mas houve um tempo, não muito distante, em que a quantidade e a qualidade de seu trabalho, provavelmente não teria sido possível.

O lendário vocalista do PANTERA disse ao New York Hard Rock Examiner, "Foram oito anos até que eu me livrasse das drogas mais pesadas, de modo que é uma grande conquista". Anselmo disse que a música do Down, "Nothing in Return", é baseada em suas experiências com a sobriedade e acrescenta, "É basicamente sobre dar a volta por cima. E eu fui um filho da puta no palco, fora de mim, bêbado, drogado, discriminado por dentro, ferido, me sentindo muito vulnerável, e para mim isso era uma sensação de desconforto. Eu disse coisas no microfone para milhares de pessoas que eu nem tinha idéia do que estava fazendo - falava mal de outras bandas, falava mal disto, daquilo e de outras coisas - e eu só saía como uma pessoa negativa, e eu não sou isso tudo".

O vocalista disse que sua positividade começou a brilhar quando ele estava sóbrio, e ele começou a perceber que poderia ajudar outros amigos que estavam lutando com seus próprios vícios. Ele lembra: "Fiquei realmente implorando a eles: 'Dê um passo adiante. Tudo que você tem que fazer é confiar em mim. Ouça-me. Nós vamos tirar você das drogas e toda a ansiedade ruim que vem com elas, essa doença, através da desintoxicação, ela vai embora. Você pode voltar a ser aquela cara de antes, entende?"

Apesar que a sua mensagem, no geral, seja para aqueles que lidam com este vício, Anselmo sabe que às vezes ouvir essas palavras não é a coisa mais fácil de se fazer. Ele acrescenta: "Uma vez que você conquistou alguma coisa e você tentar dizer a alguém sobre isso, eles estão em um momento tão difícil, que é como falar com a parede. Eles não te dão ouvidos, e este é o caso, na maioria das vezes...Você não pode ganhar o tempo todo".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário